01/
Nov
Inspirados no Uber, aplicativos resgatam as 'visitas de médico'

Um grupo de novas empresas quer usar a tecnologia para trazer de volta a tradição da visita de médico em casa.

 

Inspiradas no funcionamento do Uber, as start-ups Docway, Beep Saúde e Dr.Vem! oferecem o serviço de solicitação de consultas a partir de aplicativos e sites.

 

Nos serviços, o paciente pode ver currículos de médicos cadastrados, os horários de atendimento que eles têm disponíveis e a distância dos profissionais até o cliente.

 

Cada médico decide o preço que cobra por consulta.

 

Com isso, as start-ups afirmam oferecer um atendimento mais cômodo para pacientes, de um lado, e uma fonte de renda complementar para os médicos, de outro.

 

Vander Corteze, fundador do Beep Saúde (lançado em abril e com 750 profissionais ativos), afirma que o serviço tem como objetivo tirar do pronto-socorro pacientes com problemas fáceis de serem tratados, que não precisariam ir para lá enfrentar filas e risco de contaminação por doenças mais graves.

 

Esse foi o motivo que fez a arquiteta Rebeca Murad, 39, chamar um otorrino via aplicativo para sua filha.

 

Murad, que mora em São Luís, no Maranhão, diz que, durante uma visita a São Paulo, em julho, a criança, de quatro anos, ficou com febre. Ela afirma que preferiu esperar um profissional atendê-la na casa da sogra a enfrentar filas em hospital.

 

A maioria dos usuários dos "Ubers da medicina" é de pais e mães em busca de pediatras, seguidos por parentes de idosos com dificuldade de locomoção, diz Daniel Lindemberg, presidente da Dr.Vem!.

 

A empresa foi lançada em janeiro deste ano e, com cerca de 140 médicos, faz aproximadamente 200 atendimentos em domicílio ao mês.

 

O DOUTOR VAI?

Mas os médicos estão mesmo dispostos a deixar de esperar os pacientes nos consultórios para ir atrás deles?

 

Difícil, se considerados os profissionais mais qualificados e experientes, segundo Marcelo Augusto Ribeiro Junior, coordenador do curso de medicina da Unisa.

 

"Eles dificilmente vão se sujeitar a isso. Quem vai se cadastrar é alguém que ainda não tem uma clientela."

 

A médica Andrea de Lemos Santos, 43, pensa diferente. Diretora técnica de uma empresa de home care, ela afirma fazer em casa duas vezes por semana consultas que recebe a partir de aplicativos.

 

Ela diz que o atendimento é feito principalmente fora do horário comercial, para ter uma fonte de renda complementar. "O aplicativo dá liberdade de, dentro do tempo disponível, organizar os atendimentos de modo prático."

 

*

BEEP SAÚDE

Onde funciona: Rio e SP

Médicos ativos: 750

Diferencial: conexão com o Uber para o transporte do médico

-

DR.VEM!

Onde funciona: SP

Médicos ativos: 140

Diferencial: site que se adapta a dispositivos móveis

-

DOCWAY

Onde funciona: Curitiba, BH, Manaus e SP

Médicos ativos: 1.700

Diferencial: oferece vacinas

 

Fonte: Folha de SP