22/
Dec
Médicos continuam a atender mesmo sem receber

Em greve, os servidores de São Vicente garantiram 30% do efetivo da saúde nos serviços de urgência e emergência, como determina a lei. Apesar disso, segundo o Sindicato dos Médicos (Sindimed), a defasagem prejudicará de qualquer forma os serviços da categoria. 

 

Os médicos, inclusive, ainda não falam em greve, mas também estão insatisfeitos com a maneira como têm sido tratados pela Prefeitura da Cidade. 

 

Além de não receber a produtividade, um complemento salarial que representa mais de 70% dos ganhos, eles reclamam da falta de condições para exercer suas funções. “Só não atendem mais pacientes por conta disso”, diz uma nota do Sindimed.

Alguns médicos, segundo o sindicato, têm levado papel toalha para o Hospital de São Vicente (antigo Crei). Nos últimos meses a mesma unidade sofreu com a falta d'água devido problemas estruturais.

Ação judicial

O Sindimed ressalta que a Justiça concedeu uma liminar no dia 28 de novembro, para que os médicos recebessem pela produtividade no 5º dia útil de dezembro. 

 

“A Prefeitura  foi intimada no dia 29 de novembro, mas mesmo assim não cumpriu a decisão. Com isso, o sindicato decidiu tomar as medidas cabíveis para resolver o assunto”.


A Tribuna On-line tentou em entrar em contato com a Prefeitura, mas não obteve sucesso.